HOME / Juliana Dias: Uma trajetória de descoberta e transformação

Juliana Dias: Uma trajetória de descoberta e transformação

sexta-feira, 2 de junho de 2017

TAGS:

Juliana Ferreira Dias tem apenas 22 anos mas já tem uma bela história para contar. Apesar das dificuldades, ela descobriu seu potencial como educadora e, hoje, investe nele para ampliar suas perspectivas e transformar sua vida. Seu sonho: se tornar uma grande professora. Confira.

IMG_6333

Sou a mais velha de 4 irmãos, minha mãe era empregada doméstica, meu pai é tratorista e nós já passamos muitas dificuldades. Comecei a trabalhar aos 13 anos como babá e fiquei nessa função até os meus 18 anos, quando eu terminei o ensino médio. Eu sempre tive que estudar a noite para poder trabalhar, o dinheiro era muito pouco; porém eu conversava muito com a minha mãe e meus amigos sobre como seria o futuro. Como eu não tinha condições de pagar uma faculdade achei que uma boa opção seria fazer um curso profissionalizante, mas, na época, o curso que me inscrevi acabou não indo para a frente.

Assim que eu completei 18 anos me candidatei à vaga de monitora no CEI Daschú e consegui entrar em 2014. O meu despertar para educação infantil aconteceu não apenas ao lidar com as crianças – que eu amo – mas, principalmente, ao perceber em mim o prazer que sentia ao ensinar. Eu vi que a gente não é nada sem o educador e tudo que aprendemos – nossas atitudes, nossos exemplos, nossa escrita, nossa fala – foi graças a um bom professor que nos orientou. Ao perceber isso, eu me vi nesse lugar.

Mesmo eu já tendo trabalhado com crianças durante tantos anos como babá, foi atuando como monitora que me despertou o interesse pela Pedagogia. Tanto a Tia Tânia (Tânia Isidoro, coordenadora da unidade) quanto as demais monitoras e educadoras me incentivaram muito a fazer a faculdade, onde atualmente curso o 5º período na UCP (Universidade Católica de Petrópolis). Sou muito grata a todos na Cruzada por fazerem parte do meu processo de amadurecimento e descoberta pessoal e profissional.

Trabalhando aqui aprendi muitas coisas e o que eu levo para a minha vida é isto – o amor ao próximo, a compreensão, o compromisso, a excelência, o respeito com as pessoas, com as crianças e com toda essa rede da qual eu faço parte. Hoje eu percebo a minha transformação e o meu desenvolvimento dentro e fora de sala de aula e recebo carinho e reconhecimento dos demais colaboradores, das crianças e das famílias pelo meu trabalho.

No futuro eu quero ser uma grande professora! Quero ser aquela mulher, aquela cidadã, na qual as pessoas possam se espelhar; quero plantar nesse mundo coisas boas e que, no final, as pessoas possam ser gratas por eu ter feito parte da história delas, por tê-las ensinado a falar e a escrever.

Compartilhar:

DEIXE SEU COMENTÁRIO

comments