HOME / A importância da brincadeira na Educação Infantil

A importância da brincadeira na Educação Infantil

sexta-feira, 13 de julho de 2018

A brincadeira é essencial para a criança, não somente em suas casas, mas em um Instituto, uma Escola, uma ONG ou uma Instituição que atue na área de Educação Infantil, pois é através dela que será possível vivenciar e colocar em prática vários conceitos que aprendem ao longo da infância, além de poderem exercitar toda a criatividade que possuem. Portanto a escola infantil gratuita e particular precisa garantir em sua grade de horário o espaço para o brincar.

… é a brincadeira que é universal e que é própria da saúde: o brincar facilita o crescimento e, portanto, a saúde; o brincar conduz aos relacionamentos grupais; o brincar pode ser uma forma de comunicação na psicoterapia; finalmente, a psicanálise foi desenvolvida como forma altamente especializada do brincar, a serviço da comunicação consigo mesmo e com os outros. ( Winnicott, 1975, p. 63)

O ato de brincar proporciona às crianças relacionarem as coisas umas com as outras, e ao relaciona-las é que elas constroem o conhecimento. Hoje, com a entrada cada vez mais cedo nas Instituições de Educação Infantil, a escola passa a ter um papel de maior importância na vida das crianças. Os conhecimentos são adquiridos pela criação de relações e não por exposição a fatos e conceitos isolados, e é justamente através de uma pedagogia voltada para a atividade lúdica que a criança estabelece as relações. Por isso, a importância de incorporar o lúdico no seu fazer pedagógico ampliando as possibilidades de conexões que podem ser estabelecidas ao longo da primeira infância.

As Escolas de Educação infantil encontram-se diante do desafio de conscientizar os pais/responsáveis sobre a importância de reservar um horário no seu dia a dia corrido para brincar com seus filhos. Este desafio torna-se ainda maior para as Instituições que atuam com a Educação Infantil gratuita, pois atendem um número significativo de crianças que se encontram em alta vulnerabilidade social e que vivem em comunidades de grande violência. Diante dessa realidade, a conscientização torna-se ainda mais necessária, pois fará a diferença na vida de várias crianças.

As instituições e ONGs que atuam diretamente com a Educação, em especial, a Educação Infantil gratuita precisam incorporar o lúdico no seu fazer pedagógico ampliando as possibilidades de conexões que podem ser estabelecidas ao longo da primeira infância.

No brincar, ocorre um processo de troca, partilha, confronto e negociação, gerando momentos de desequilíbrio e equilíbrio, e propiciando novas conquistas individuais e coletivas. Constatamos, então, que a ação de brincar é fonte de prazer e, ao mesmo tempo, de conhecimento, devendo fazer parte da rotina escolar em todos os espaços voltados para a Educação infantil. “É no brincar, e somente no brincar, que o indivíduo, criança ou adulto, pode ser criativo e utilizar sua personalidade integral: e é somente sendo criativo que o indivíduo descobre o eu…” ( Winnicott, 1975, p.80)

A criança que brinca precisa ser respeitada, ajude uma criança, faça a diferença na Educação Infantil e fora da escola também. Ao conscientizar as famílias e propor momentos lúdicos entre pais e filhos dentro da própria instituição, responsáveis e crianças podem experimentar o brincar junto e descobrir o prazer desta partilha.

As escolas precisam promover a socialização das crianças, tendo o brinquedo e a brincadeira como formas mais precisas para essa socialização na Educação Infantil. Além disso, o brincar desenvolve capacidades como a construção de identidade, autonomia, resolução de conflitos e habilidades de origens cognitivas, motoras, físicas, sociais, afetivas e étnicas. O mundo da criança é mutante, e está em permanente oscilação entre fantasia e realidade. Precisa tanto de brinquedos como de espaço suficiente, para que se sinta à vontade, pois é através da atividade lúdica que a criança se prepara para a vida.

– por Isis Flora
Gerente de Conteúdo da Rede Cruzada

Bibliografia:
WINNICOTT, D.W. (1975). O Brincar e a realidade. Editora Imago: Rio de Janeiro.

Compartilhar:

DEIXE SEU COMENTÁRIO

comments