HOME / 21 Anos do Plantando o Amanhã: histórias de transformação – Rafaela Sulpino

21 Anos do Plantando o Amanhã: histórias de transformação – Rafaela Sulpino

terça-feira, 19 de setembro de 2017

TAGS:

Cruzada do Menor, Unidade Plantando o Amanhã, Rio de Janeiro, RJ, foto de Daniela Dacorso

Rafaela Sulpino é mãe de Geovana, 5 anos, aluna da creche e de Gabriel, 13 anos, aluno do Vôlei. Ela é casada com Adriano Senna, pai das crianças e moram em Del Castilho. Estão no plantando há 3 anos. Gabriel é federado e joga no time da AABB, da Lagoa, há 2 anos.

“Eu conheço a Cruzada desde que o Gabriel nasceu, mas como na época eu morava em Benfica, acabei conseguindo uma vaga para ele lá. Foi só com a entrada da Geovana na creche que começamos a nossa relação com o Plantando. Ela já estava com 3 anos quando eu consegui sua vaga e conheci o projeto da Educação pelo Esporte.  Nessa época, o Gabriel estava com 11 anos e o professor Marcão, que é auxiliar técnico da AABB, o chamou para fazer um teste e, depois de um ano, ele passou e foi para o time.

Gabriel está federado, já está competindo o Estadual e viajando com o clube, que fica na Lagoa, e continua participando das atividades do vôlei aqui no Plantando às quartas-feiras. Ele vem porque gosta, porque não quer se desligar daqui.

Eu sou mãe conselheira e desde o primeiro ano vesti a camisa para tudo que a creche precisava. Nossa família está sempre envolvida: nós, os pais, os tios e os avós. A gente colabora como pode em retribuição pela forma como eles acolheram as nossas crianças. Aqui é como se fosse uma segunda família – tem o carinho, a atenção, a dedicação, o cuidado e o zelo.

A gente percebeu que, aqui, eles fazem a continuação da educação de casa, do que a gente passa para eles: amor, educação e valores. Isso motivou a gente a participar sempre e a gente foi se envolvendo e participando, não por obrigação, mas de coração. É tão prazeroso que eu nem sei como explicar.

A transformação veio para toda a nossa família. Gabriel descobriu seu talento pelo esporte e quer ir para a seleção brasileira de vôlei. Geovana tem mostrado um interesse muito grande para a dança e sentimos que há também um brilho ali, que pode vir a se destacar pelo lado artístico.

Além disso, o nível de participação e envolvimento do meu marido é total: hoje, ele se envolve, se esforça para estar presente e participar da vida das crianças.

Para mim, isso ajudou muito e foi uma mudança muito significativa na nossa dinâmica familiar.”

Compartilhar:

DEIXE SEU COMENTÁRIO

comments